Páginas

Pesquisar este blog

domingo, 20 de agosto de 2017

A morte, angústia de quem vive


   Sim, eu voltei! Tô há certo tempo pensando em voltar a escrever, mas a preguiça tem mais força, mas esse assunto tava martelando na minha cabeça e resolvi colocar no papel.

   Morte. Precisamos falar sobre a morte. Essa palavra parece amaldiçoada, ninguém gosta de ouvir ou falar. Sempre tem alguém pra tentar mudar o assunto. É só buscar cenas de morte em filmes, séries, novelas que você vai perceber, como esse cena de Chicago Fire:


Desculpem a falta de legenda 😢


   E essa cena se repete em dezenas de mídias. Mesmo com a morte em suas mãos ninguém ousa falar sobre ela. E isso é triste. A morte é a única certeza da vida, e ignorá-la não a impede de acontecer.


   A frase que intitula esse texto é do Soneto de Fidelidade, de Vinicius de Moraes. Assim como disse o autor, a morte é a angústia de quem vive, eu interpreto não só como a angústia de saber que irá morrer, mas a angústia a ter que conviver com a morte de alguém querido. A morte dói mais para aqueles que ficam. A religião muitas vezes é um consolo para essa dor, uma esperança de algo bom, mas não deixa de ser triste.

   Eu sinceramente acredito que precisamos falar da morte com mais naturalidade, de nossos desejos e vontades. A morte nos espera em qualquer esquina da vida,  já vi pessoas de todas as idades morrerem, seja por acidentes ou  causas naturais. A morte é uma certeza, e devemos sim falar dela. Eu quero que meus amigos e familiares saibam o que eu espero da minha morte, e o que eu quero que aconteça com as minhas coisas depois que eu morrer. É algo que precisa ser dito, encarado sem receios.

   Quantas vezes ouvi minha vó dizer “quando eu morrer..” e ser interrompida logo em seguida por alguém dizendo “deixa disso, a senhora ainda tem muito tempo pela frente!”. Olha, eu amo a ideia de que a minha vó possa viver muitas anos mais, mas a realidade nem sempre é essa.

   Não somos imortais, não encontramos uma formula da juventude eterna ou a cura para todas as doenças. Precisamos aprender a lidar com a morte da melhor forma possível. Lembro de quando meu pai faleceu de que o que mais me incomodava eram as falas dos outros para mim. Sinceramente, dizer para alguém que acabou de perder um ente querido para “não chorar”, “ficar calma”, ou que “Deus tem planos melhores” não é exatamente uma boa coisa. Na maioria das vezes não existem palavras para aquele momento, não existe consolo para quem está sofrendo, como  já disse, a morte é mais cruel com aqueles que vivem.


   Então, fale sobre a morte, pergunte a seus entes queridos o que eles desejam, e se você encontrar uma pessoa que estiver passando pela dor da morte de alguém, dê carinho, não tente achar uma razão ou culpado para aquela situação, apenas esteja ali, para o que a pessoa precisar, e não critique a forma como a pessoa morreu, ninguém é dono da verdade.  E por favor, não menospreze a dor de ninguém, não seja cruel. 

Compartilhe nas Redes Sociais